segunda-feira, 30 de junho de 2008

Assembleia Muncipal de Castro Verde



Hoje, a esta mesma hora, está a decorrer aquela que, previsivelmente, será a última Assembleia Municipal da era Caeiros na Câmara Municipal.




O ainda Presidente vai-se embora, e ficam no ar muitas dúvidas quanto ao futuro, e muitas respostas a dar quanto ao passado, quanto às escolhas, às opções, às obras que fez e não deveria ter feito, quanto às que deveria ter feito e não fez.




Fica a obra que fica, do agrado de uns, do desagrado de outros, totalmente perfeita e completa e totalmente isenta de criticas para alguns mais seguidistas, com algumas imperfeições e incompleta, e susceptível de críticas, para alguns mais realistas, completamente errada e dispensável, para os adversários acérrimos e figadais.




Obra para todos os gostos, portanto.
Gostaria aqui de salientar duas iniciativas que custa ver não cumpridas, depois de tantas vezes prometidas:
- Revisão do PDM
- Zona de Actividades Económicas


Esperemos que o seus sucessores tenham a lucidez de lançar mãos à obra quanto a estes temas.

Como já muitos aqui vieram dizer, Caeiros vai voltar. Não porque seja um D. Sebastião saído do nevoeiro para salvar o Município de um hipotético cenário dantesco, mas porque lhe está na massa do sangue, por um lado, e porque poderá tirar dividendos futuros, para a sua carreira, seja ela qual for.




Órfãos ficam todos aqueles que viveram três décadas à sua sombra, principalmente os que mais recentemente se chegaram às proximidades do poder, apenas e só com o intuito de se aproveitarem dos possíveis favores que desse movimento pudesse advir.




Como desde o início deste mandato não assisti a nenhuma sessão da Assembleia Municipal, quer pela fraca qualidade política de grande parte dos eleitos, quer por me ser extremamente penoso permanecer na mesma sala com algumas pessoas que conspurcam o ar que os envolve, também hoje não fui.




Mesmo sendo uma sessão que marca história deste Concelho.

domingo, 29 de junho de 2008

Espanha Campeã Europeia de Futebol 2008


A Espanha venceu hoje a Alemanha, na final do Campeonato Europeu de Futebol 2008.



Com uma vitória por 1-0, golo marcado por Fernando Torres, a Selecção Espanhola sagrou-se campeã, pela segunda vez.



Foi também uma vitória do futebol sobre o jogo pragmático praticado pela Alemanha.



Os resultados são importantes, mas o espectáculo, em minha opinião, ainda é mais.



Para mim, como português, é um resultado que sabe a vingança.



caso para se dizer: Ich bin ein spannier!

O Povo Está na "Praça"



Não fora o facto de não ser prática usual, e nem sequer seria motivo para fazer aqui este escrito.


A autarquia decidiu, e bem, só pecando por tardia, fazer uma iniciativa digna desse nome no Parque da Liberdade.


Muitos milhares de contos investidos, justificam uma utilização mais intensiva daquele espaço, normalmente utilizado para entrega dos troféus dos Jogos Concelhios, e, mesmo assim, nem isso.


Hoje está a acontecer um arraial popular no Parque da Liberdade, comemorativo do Feriado Municipal e do seu Santo Padroeiro, S. Pedro, devolvendo ao povo aquilo que pertence ao povo.

sexta-feira, 27 de junho de 2008

SEM PALAVRAS

É uma fotografia do João Palmela, who else?
Já posso dizer que "roubei" a Lua :)

Vida Por Vida


Chegou o Verão e, com ele, a canícula impiedosa com que somos massacrados diariamente.

Chegou também a época sazonal dos fogos, sejam eles de origem natural, sejam eles de origem criminosa.

É tempo de relembrar aqueles que, de Norte a Sul do país, colocam as suas vidas ao dispor dos cidadãos, na defesa da integridade física de cada um, bem como dos seus haveres.

Estou a falar, claro, dos Bombeiros deste país, e, especialmente, dos voluntários, aqueles que optam, de forma não profissional, por dar mais qualquer coisa ao próximo a troco de nada.

E quando digo nada, é mesmo nada.

Os bombeiros fazem escalas de alerta, são chamados a acorrer a incêndios, dentro e fora do respectivo concelho ou área de jurisdição, a troco de míseros cêntimos, que não pagam o suor que vertem debaixo das elevadas temperaturas que enfrentam, quanto mais o risco a que se sujeitam.

Claro que estou a falar dos Bombeiros operacionais, daqueles que correm quando toca a sirene que anuncia mais uma situação que exige a sua presença.

Tempo de lembrar os comandos das corporações, que são obrigados a fazer milagres com os parcos e desajustados meios ou com os reduzidos efectivos de que dispõem.

Todos os anos ouvimos falar nas florestas como uma das maiores riquezas deste país.
Todos os anos ouvimos falar nos milhões e milhões de euros que se gastam para preparar um sistema de combate a incêndios, muitas vezes de eficácia duvidosa.

Todos os anos se gastam milhares, senão milhões, de euros para manter uma estrutura de comandos distritais, regionais, nacionais e não sei quantos mais, cada qual com pessoal extremamente bem remunerado, com regalias impensáveis ao nível dos comandos das corporações.

São milhões, que, por ventura, melhor aplicados e investidos na base da estrutura de prevenção e combate a incêndios, corporações e protecção civil municipal, poderiam gerar melhores resultados operacionais, evitar situações de risco dispensáveis, compensar devidamente quem se predispõe a colocar a sua vida ao serviço do próximo.

Mas, acima de tudo, deixaria de haver o sentimento de que alguém, nos níveis mais altos de decisão anda, definitivamente, a brincar com coisas muito sérias, nomeadamente com a dignidade dos soldados da paz, daqueles cujo lema é "Vida Por Vida".

Festas da Vila ´08 - Castro Verde

Aqui está o programa da Festas da Vila ´08. Mais Informações no sítio da Câmara Municipal de Castro Verde em http://www.inesting.org/cm_castroverde/



Comemorações do Feriado Municipal – Festas da Vila 2008 29/6/2008

Durante três dias o Largo da Feira vai transformar-se na cidade da animação. Concertos, bailes, animação de rua, desportos radicais, um espaço criança, bares, restaurantes, divertimentos de feira… um programa recheado de propostas para celebrar Castro Verde, inserido nas Comemorações do Feriado Municipal que começa com a festa de encerramento dos Jogos Concelhios.



27 de Junho: Festa de encerramento dos Jogos Concelhios - Praça da República, 21h00


28 de Junho: Apresentação do Foral de Casével, horário a definir.


28 de Junho: Arraial de S. Pedro - Geraldos, 21h30


29 de Junho: Arraial Popular – Parque da Liberdade, 19h00


4, 5 e 6 de Julho: Festas das Vila




FESTAS DA VILA




LARGO DA FEIRA ENTRADA LIVRE CASTRO VERDE 4>5>6JUL‘08




SEX 4 JULHO


18h00 Abertura do recinto da festa


Animação de rua, actividades radicais, insufláveis, bares, restaurantes


21h30 Baile com acordeonista


23h00 Concerto Expensive Soul


00h30 Concerto Pedro Abrunhosa & BandemónioSáb




5 JULHO18h00 Abertura do recinto da festa


Animação de rua, actividades radicais, insufláveis, bares,restaurantes


21h30 Baile com Orquestra 6 de Portugal


23h00 Concerto Paulo Gonzo


01h00 Continuação do Baile




Dom 6 JULHO


09h30 VII Encontro de Ciclomotores Informações e inscrições no Fórum Municipal até 27 de Junho. Tel. 286 320040


18h00 Abertura do recinto da festa


Animação de rua, actividades radicais, insufláveis, bares, restaurantes


18h30 Música Tradicional Grupo Sol do Torrão


20h30 Baile com acordeonista


22h30 Concerto Némanus (Kizomba)


24h00 Encerramento da festa




ESPAÇOS DA FESTA


Palco 1 Concertos


Palco Arraial Bailes e Música Popular


Castrolândia Espaço Criança (Insufláveis, carrossel, animações, ateliers, etc)


Zona Jovem Actividades Radicais, divertimentos de feira


Zona Institucional Exposições institucionais


Bares


Restaurantes




Concerto Expensive Soul promovido pela Junta de Freguesia de Castro Verde




Organização: Câmara Municipal de Castro Verde


Colaboração: Associações e Juntas de Freguesia do Concelho

quinta-feira, 26 de junho de 2008

Nem o INATEL Escapa!


Nem o INATEL, digno sucessor da FNAT, criada por Salazar no início do Estado Novo, e reconhecidamente um dos maiores veículos da propaganda do SNI, escapou à sanha privatizadora liberal de Sócrates e acabou de ser transformado em entidade privada, que, no fundo é uma privatização, mas ao contrário: na privatização o Estado arrecada uns tostões, poucos, para um qualquer capitalista se encher; neste caso, o Estado não encaixa nada, perde os activos, e ainda vai suportar as despesas.


Eis mais uma obra de louvar do Governo Socialista. Porreiro, pá!


E dirá o sr. Primeiro- Ministro: Portugal, todos nós, deu um importantíssimo passo na minha carreira pol..., perdão, no desenvolvimento sustentado e das condições sociais que irão permitir que milhares, porque não dizê-lo, milhões de trabalhadores portugueses irão gozar as suas férias, sem dinheirito, em casa, para aumentar a produtividade. Assim, a Fundação INATEL, irá proporcionar àqueles que têm posses e disponibilidade de tempo, esplêndidas oportunidades de férias, em bons hotéis de luxo, e a pagar uma pipa pela diária, a bem do país, da produtividade, do novo Código do Trabalho e do Tratado de Lisboa.


Ah! Sim, e os deputados da oposição são todos ignorantes e nenhum sabe do que fala. Só eu é que sei. E o Alberto João Jardim. E ... o Robert Mugabe. Mais nenhum. Chega.



Eis a notícia do Dinheiro Digital


"Turismo: Estado institui Inatel como entidade privadaO Inatel - Instituto Nacional para o Aproveitamento dos Tempos Livres dos Trabalhadores passou hoje de entidade pública a privada, segundo o decreto-lei n.º 106/2008, publicado em Diário da República.
O Inatel- Instituto Nacional para o Aproveitamento dos Tempos Livres dos Trabalhadores transformou-se hoje em Fundação Inatel, assumindo uma natureza jurídica "mais consentânea com as características e o tipo de actividades que prossegue", segundo o decreto-lei.
De acordo com o diploma, a entidade manterá os mesmos direitos e obrigações, bem como os funcionários e o património.
A passagem a fundação, refere o decreto-lei, visa "reforçar os laços que ligam o Inatel à comunidade nacional e adoptar modelos mais ágeis de gestão empresarial".
As verbas inscritas no orçamento da segurança social para 2008 e nos serviços da administração central do Estado serão transferidas para a nova fundação."

Política Local Castrense Está a Entrar em Ebulição


Pois é.


Imagino que desde há 32 anos não havia tamanho frenesim nas direcções concelhias dos partidos políticos em Castro Verde.


Enquanto o Partido Socialista aguça o dente ao segundo mais apetecido município do Baixo Alentejo, porque, obviamente, o principal é Beja, o Partido Social Democrata anseia por recuperar o peso eleitoral paulatinamente dissipado, e o Bloco de Esquerda lambe os lábios a olhar o filet mignon em que o lugar vago com a partida de Fernando Caeiros para o PORA se transformou.


Do outro lado, a CDU - PCP/PEV, cerra fileiras na defesa desta emblemática autarquia, um símbolo da sua resistência aos avanços dos outros partidos com implantação regional.


No entanto, um problema é transversal a todos eles.


Colocando de parte as respectivas competências profissionais, técnicas e políticas, nenhuma destas forças tem para propor, à partida, um candidato carismático, que prenda e aglutine votos de todos os quadrantes, com a propriedade com que Fernando Caeiros ganhou todos os seus mandatos.
Goste-se, ou não, dele; concorde-se, ou não, com ele; seja-se seu aliado ou seu adversário, há que aceitar essa realidade, em simultâneo com outra, que é a de que, não bastam as relações, as amizades, ou as boas graças para se obterem, consecutivamente, 9 resultados bastante acima dos 50% dos votos.

E esse é o motivo do aquecimento que se vai verificar na actividade das diversas concelhias.


Por um lado, PS e PSD vão-se esforçar por encontrar, rapidamente, uma figura de proa, a nível regional, que dê a cara e vá à luta na peleja autárquica que se aproxima.


O Bloco de Esquerda, aparentemente sem dificuldades na escolha do seu candidato, vai lutar, acima de tudo, pela sua afirmação como força autárquica a ter em conta no concelho e no distrito.


A CDU - PCP/PEV terá, eventualmente a mais árdua tarefa de todas as quatro forças candidatas: substituir Fernando Caeiros por alguém que transmita a tranquilidade na passagem de testemunho e na continuação da vida autárquica.


Não vai ser pêra doce para nenhuma das forças.


Pessoalmente, creio, e tenho a firme esperança de que a CDU - PCP/PEV irá ultrapassar as dificuldades e conseguirá encontrar um candidato à altura da situação.


Até porque, durante o próximo ano ir-se-ão realizar três actos eleitorais: Legislativas, Europeias e Locais, o que permitirá à máquina da CDU - PCP/PEV afinar-se para obter bons resultados.


Claro que ainda à factores a ter em consideração: Caeiros vai; e será que fica até ao fim? Caeiros vai; mas será que isso é impeditivo de se voltar a candidatar?


O futuro é, e será sempre, um enorme ponto de interrogação.

quarta-feira, 25 de junho de 2008

Dança das Cadeiras em Castro Verde - 2ª Parte



Pois parece que ainda não é desta que a candidata Liliana Valente irá tornar público o seu programa de acção como potencial vereadora, porque, segundo consta, será mesmo a 5ª candidata da CDU-PCP/PEV que irá ocupar o lugar vago.


Em minha opinião, a ser assim, será uma mais valia para o órgão que vai integrar, não só pela competência que demonstra no exercício da sua profissão, como pelos conhecimentos técnicos que possui poderem constituir preciosa ajuda para o resto da equipa.


Esperemos que esta seja a versão correcta, que anula o post anterior acerca do assunto.

terça-feira, 24 de junho de 2008

FEPU-APU-CDU-PCP/PEV em Castro Verde


Agora que Caeiros, pelo menos em princípio, vai embora, seria interessante relembrar todos os eleitos que passaram pelo executivo municipal, e que, embora extremamente limitados na acção, por manifesta falta de competências transferidas, fizeram o Poder Local em Castro Verde nos últimos 31/32 anos.

Por forma a não serem esquecidos, incluí aqui os representantes eleitos pelo Partido Socialista.

Eleição - 12-12-1976

Fernando Sousa Caeiros - FEPU
Manuel de Assunção Mestre - PS
Manuel Guerreiro Marques - FEPU
José António Isidro - FEPU
Alexandre João Simões - PS


Eleição - 16-12-1979

Fernando Sousa Caeiros - APU
Manuel Guerreiro Marques - APU
José António Isidro - APU
José Gonçalves Paulino - APU
José Colaço Mestre - APU

Eleição - 12-12-1982

Fernando Sousa Caeiros - APU
Manuel Guerreiro Marques - APU
João Guerreiro Mariano - APU
Horácio Manuel Figueira da Cruz - PS
Manuel Sequeira Afonso - APU


Eleição - 15-12-1985

Fernando Sousa Caeiros - APU
Manuel guerreiro Marques - APU
João Guerreiro Mariano - APU
Albano Graça de Almeida - PS
Maria Manuela Florêncio Paulino - APU

Eleição 17-12-1989

Fernando Sousa Caeiros - CDU - PCP/PEV
Manuel Guerreiro Marques - CDU - PCP/PEV
João Guerreiro Mariano - CDU - PCP/PEV
Maria Manuela Florêncio Paulino - CDU - PCP/PEV
Belchior Rodrigues Loio - PS

Eleição 12-12-1993


Fernando Sousa Caeiros - CDU - PCP/PEV
José António Valadas Abreu - PS
Manuel Guerreiro Marques - CDU - PCP/PEV
Maria Alice de Sousa Guerreiro - CDU - PCP/PEV
António José da Luz Paulino - PS


Eleição 14-12-1997

Fernando Sousa Caeiros - CDU - PCP/PEV
Arlindo Manuel da Conceição Costa - PS
Paulo Jorge Maria do Nascimento - CDU - PCP/PEV
Ercília Maria Soares Vitoriano Martins - CDU - PCP/PEV
António José da Luz Paulino - PS


Eleição - 16-12-2001

Fernando Sousa Caeiros - CDU - PCP/PEV
Arlindo Manuel da Conceição Costa - PS
Manuel da Conceição Colaço - CDU - PCP/PEV
Paulo Jorge Maria do Nascimento - CDU - PCP/PEV
José António Branco Gregório - PS


Eleição - 9-10-2005


Fernando Sousa Caeiros - CDU - PCP/PEV
Francisco José Caldeira Duarte - CDU - PCP/PEV
João Alberto Lança Fragoso - PS
António João Fernandes Colaço - CDU - PCP/PEV
Paulo Jorge Maria do Nascimento - CDU - PCP/PEV

Estes foram os homens e mulheres que, pela força do voto popular, exerceram funções executiva e não executivas na Câmara Municipal de Castro Verde, se alguma coisa há a agradecer, deve esse agradecimento ser feito a todos e não apenas a um ou a alguns, por muito meritória que possa ser a sua acção individual.


segunda-feira, 23 de junho de 2008

Francisco Alegre: Uma Referência para Castro Verde

Como é sabido, eu transporto no meu ser o anátema de ser de fora, numa terra em que, na generalidade, o povo recebe bem os que aqui se fixam, mas que outros há, que não aceitam esse facto.
Mas não é esse o assunto que quero agora abordar.
Desde que comecei a frequentar esta terra, a conviver com as suas gentes, que cá casei, na belíssima Basílica Real, sempre ouvi falar do Dr Francisco Alegre, sempre referido como Dr. Chico Alegre, com um respeito, uma veneração, quase em jeito de agradecimento.
Conheci o Dr. Chico Alegre, obviamente, sem a profundidade com que aqueles que toda uma vida com ele lidaram, conviveram e trabalharam, e dele, para mim ficou a imagem da pessoa dada, acessível e bem disposta. Diga-se, a talhe de foice, tal como a sua esposa.
Foi uma pessoa que se entregou à sua profissão de médico veterinário, participando na vida comunitária sempre que a tal foi chamado, fosse no antigo Colégio, fosse à frente da primeira Comissão que administrou o Concelho após o 25 de Abril.
Logo após o seu falecimento, falou-se em diversas formas de homenagear condignamente este Grande Castrense, nomeadamente, candidatando o seu nome para patrono da Escola Secundária.
O que é facto é que nunca mais se falou no assunto.
Mas, creio, seria mais que justo, numa terra em que até as estevas têm direito a ser nome de rua, a entidade competente para o efeito, que creio ser a Junta de Freguesia, por delegação da Câmara Municipal, mais não faria que a sua obrigação, se atribuísse o nome do Dr. Francisco Alegre a uma rua ou praça, com dignidade suficiente para o receber, homenageando, assim, um Castrense que foi, e como tal deve permanecer, uma referência para os seus conterrâneos.
Fica a sugestão, que espero não ofensiva por ser feita por um "estrangeiro".

Dança das Cadeiras em Castro Verde


Muito embora o título possa sugerir o contrário, não existe, pelo menos que se saiba, qualquer polémica acerca da ocupação do lugar deixado vago com a saída de Fernando Caeiros.

Como é lógico, não me refiro ao lugar de Presidente da Câmara, que será ocupado pelo Vice-Presidente, e o lugar deste pelo eleito seguinte, António João Colaço.

Como se mantém, o Vereador Paulo Nascimento passa a ser o número três dos eleitos PCP-PEV/CDU.

Para o quarto mandato eleito pelo PCP-PEV/CDU deveria tomar posse a primeira suplente, que aparecia em 5 lugar na lista, mas, face à sua indisponibilidade, como publicamente consta, deverá avançar a candidata seguinte, Dra. Liliana Valente, Licenciada em Comunicação Social, e natural de Almeirim, Casével, Castro Verde.

Se algum deste elementos não estiver correcto, agradeço que me facultem os verdadeiros, para que possa proceder à sua correcção de imediato.

Portanto será pacífica a ocupação do lugar vago no executivo.

Não gostaria de deixar passar esta oportunidade, de colocar à Dra. Liliana Valente a mesma questão que colocou ao António João Colaço quando se discutia a inclusão deste em lugar elegível nas listas para a eleições de 2005: qual o seu programa de acção enquanto vereadora?

Estamos curiosos, eu e quem assistiu a essa sessão memorável, porque como não é uma pergunta usual que se faça a um candidato a vereador, e que a nóvel edil teve a primazia de a colocar, gostaríamos de saber qual a resposta que estaria à espera quando a colocou anteriormente.

Com esta entrada, verifica-se um reforço da linha conotada com Paulo Nascimento, o que, francamente, não sei se será muito positivo para a coligação PCP-PEV/CDU em Castro Verde.

Mas, logo à noite, concerteza, os amigos e companheiros, hão-de decidir a contento de todos, eles, claro.

sexta-feira, 20 de junho de 2008

Castro Verde Muda de Presidente




O Conselho de Ministros aprovou, ontem na sua reunião semanal, a nomeação de Fernando Sousa Caeiros para o lugar de vogal executivo do PORA, na Comissão de Coordenação de Desenvolvimento Regional do Alentejo, em Évora.






Segundo anunciou logo a seguir à sua eleição, Fernando Caeiros, deverá suspender o seu mandato de autarca de Castro Verde assim que tomar posse do novo cargo, sendo substituído pelo seu Vice-Presidente, Arq. Francisco José Caldeira Duarte.




Está aberto um inquérito neste blog para saber a sua opinião acerca do assunto.

Reacções Socialistas À Eleição de Caeiros



Demissão de Silvino Sequeira deixa autarcas da Lezíria do Tejo em “situação ingrata”.



Sousa Gomes lamenta que PS tenha perdido eleições para comissão executiva que vai gerir fundos comunitários para a região até 2013.



Negociações entre a CDU e o PSD levaram à eleição do autarca comunista de Castro Verde para representante dos municípios na comissão executiva do Programa Operacional do Alentejo. Fernando Sousa Caeiros (CDU) substitui Silvino Sequeira (PS), que recentemente decidiu abandonar o cargo para regressar à presidência da Câmara de Rio Maior. Desta vez os socialistas não conseguiram fazer vingar o seu candidato, o autarca do Gavião Jorge Martins.



O presidente da Câmara de Almeirim, Sousa Gomes (PS), reconhece que a demissão de Silvino deixou os autarcas da Lezíria do Tejo numa “situação ingrata” perante os seus pares alentejanos, já que em Setembro passado apostaram forte no lançamento da candidatura e na eleição do autarca de Rio Maior. Assume que ficou “pesaroso por o resultado não ter sido satisfatório” para as hostes socialistas, já que depositou “total apoio e confiança” no candidato do PS.



A eleição, realizada dia 12 em Évora, ficou marcada pela ausência da maioria dos presidentes de câmara da Lezíria do Tejo, que se fizeram representar por vereadores. Presentes apenas Paulo Caldas (Cartaxo), Sérgio Carrinho (Chamusca), Moita Flores (Santarém) e Carlos Nazaré (Rio Maior), que será brevemente substituído nas funções por Silvino Sequeira. Nenhum dos membros da direcção da Comunidade Urbana da Lezíria do Tejo (CULT) – os socialistas Sousa Gomes (Almeirim) e Rosa do Céu (Alpiarça) e o comunista António Ganhão (Benavente) - esteve presente. Uma questão desvalorizada por Sousa Gomes. O presidente da CULT garante que as ausências não reflectem qualquer mal-estar com a situa-ção gerada pelo inesperado abandono de Silvino Sequeira.



Refira-se ainda que os municípios socialistas de Golegã e Ponte de Sôr não se fizeram representar na eleição, o que retirou logo à partida dois votos ao candidato socialista. O presidente da Câmara da Golegã justifica a ausência com questões de agenda. Nesse mesmo dia havia reunião do executivo. “Não houve nenhuma atitude de menosprezo ou de falta de atenção”, diz Veiga Maltez (PS), que lamenta a demissão de Silvino Sequeira.



Durante a reunião que culminou nas eleições, houve algumas intervenções críticas à atitude de Silvino Sequeira. Moita Flores, um dos autarcas do PSD que negociou com a CDU, confessou o seu apreço pelo autarca de Rio Maior mas disse não compreender a sua demissão do POA. “Seria coerente se alegasse esses problemas pessoais e se retirasse da vida política. Mas sair para ir para a câmara não faz muito sentido”, diz o autarca de Santarém.



Socialistas desalinhados



Apesar do voto ter sido secreto, a matemática garante que houve pelo menos um município socialista a votar na lista do rival comunista. A soma dos votos da CDU (20), do PSD (8), do Bloco de Esquerda (1) e de um movimento independente (1) garantia apenas 30 votos. E a lista vencedora teve 31 votos, contra 25 da derrotada. Refira-se que o PS é a força maioritária no território da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo (CCDRA), com 28 municípios.



Recorde-se que Silvino Sequeira foi eleito com os votos de todos os municípios da CULT e da maior parte das câmaras socialistas alentejanas, que se uniram em torno da sua candidatura e permitiram então uma vitória clara sobre o candidato comunista. Silvino Sequeira (PS) foi eleito a 5 de Setembro de 2007 com 32 votos a favor, tendo vencido na altura o ex-autarca de Évora Abílio Fernandes, que conquistou os restantes 26 votos dos 58 municípios abrangidos pelo POA.



A comissão executiva do Programa Operacional do Alentejo é liderada pela presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Alentejo, Maria Leal Monteiro, integrando quatro vogais, dois executivos (um representante dos autarcas e outro do Governo) e dois não executivos. O Programa Operacional do Alentejo integra cinco NUT II (unidades territoriais para fins estatísticos) – Alentejo Litoral (que inclui quatro concelhos do distrito de Setúbal), Baixo Alentejo (distrito de Beja), Alto Alentejo (distrito de Portalegre), Alentejo Central (distrito de Évora) e, a partir deste quadro comunitário de apoio, a Lezíria do Tejo (10 municípios do distrito de Santarém e um de Lisboa), num total de 58 municípios.










Comentário:




1º Parece que no PS também há um Rato Mickey.

2º Já se sabia que a eleição de Caeiros não iria agradar sobremaneira o Partido Socialista, mas CDU, por CDU, antes este que outro mais ortodoxo.

3º Caeiros vai ter a dificil tarefa de contrariar as tendências de favorecimeto dos municipio do PS, na atribuição de verbas do PORA. Mas a tarefa da outra parte também não vai ser fácil. Não vai, não.


quinta-feira, 19 de junho de 2008

Concurso "Aqui há Selo"


Numa iniciativa promovida pelos CTT, está a decorrer um concurso de selos, designada "Aqui há Selo - 2008" em que os cibernautas escolhem, de entre os selos colocados, por outros cibernautas, a competição, em diversos temas propostos.

Este que aqui é mostrado é o que se encontra em primeiro lugar.

Se quiser participar, o endereço é http://www.irrequietos.com/aquihaselo/Stamps.aspx?ID=8

Portugal eliminado pela Alemanha - 3 - 2


A selecção Portuguesa foi eliminada nos quartos de final do Campeonato da Europa de Futebol, pela Alemanha, por 3 a 2.


Foi um bom jogo, muito bem arbitrado, em minha opinião, o que permitiu um bom espectáculo de futebol, apesar do resultado.


Pelo menos os jogadores conseguiram aquilo que foi impossível com a arbitrgem do jogo contra a Suiça: concluir jogadas.


Portugal demosnstrou ser um aequipa de respeito, em minha opinião a melhor em campo, pese embora a maior eficácia da Alemanha.


Para a nossa Selecção acabou o Europeu, e para muitos milhões o sonho de uma final vitoriosa.


Em 2010 temos o Mundial da África do Sul, e, esperemos, lá estaremos representados de novo.


Pode não justificar nada. Até pode ser justificável, mas para a história deste campeonato ficam duas sacanices: da imprensa que não se claou com fait-divers relativos a contratações e vida pesoal dos jogadores, e o anúncio inesperado da contratação de Scolari para o Chelsea. desde aí nunca mais ganhámos nada na competição.


Acabou o sonho; sejamos bemvindos à realidade da vida.

segunda-feira, 16 de junho de 2008

Finalmente

Escrevo apenas para informar que, ultrapassados que foram os problemas técnicos, os semáforos do cruzamento da antiga farmácia já se encontram em funcionamento.



Foram, também pintadas as sinalizações horizontais naquele local, incluindo as passadeiras.



Tudo está bem quando acaba em bem.



E tudo está bem quando nada há a apontar.


De pernas para o ar

De facto, a política local , ou proto-política local, ou seja lá o que for, contínua a ser um manancial de surpresas.

Seria de esperar que a eleição de Fernando Caeiros para representar as autarquias alentejanas mais as do Distrito de Santarém cooptadas para fins do QREN, fosse motivo, senão de alegria, pelo menos de regozijo para os castrenses, naturais ou não, residentes, ou não.

No entanto, os comentários que são feitos neste blog, mostram que não é bem assim.

De facto, acoberto de anonimato, tão criticado a terceiros, alguns putativos apoiantes de Fernando Caeiros têm-se mostrado contrários à sua ida para a administração do PORA.

Alegando insidiosas e maquiavélicas movimentações comunistas (esses malvados!!!), insinuam que Caeiros está a ser afastado do cargo que ocupa, para nele se sentarem os mais salientes representantes do poder vermelho de aquém e além-mar.

Ninguém fala, sequer nas contra-partidas desta candidatura. Nomeadamente, as políticas.

E depois ameaçam logo: não esperem vocês, representantes do mal (comunista, entenda-se), que isto fica assim, porque o homem vai regressar mais cedo que o que pensam, e ocupar o lugar que eterna e perpétuamente lhe pertence.
Mesmo que ele até queira muito ir para Évora, tem que ficar cá, porque eles assim o querem.

Eu, que nem tenho muitos, aliás, nenhuns motivos para querer dar satisfações a Caeiros, acho que ele merece, pelo resultado global do seu trabalho à frente da autarquia, pela experiência que tem, e pelo que, mercê dos conhecimentos obtidos, poder fazer chegar aos municípios abrangidos pelo PORA, de uma fora minimamente equilibrada, as verbas comunitárias que possam vir para a região.
A não ser que seja por eu pensar desta maneira, que não achem bem que ele tenha sido eleito.

Pelos vistos, aqueles que tanto o apoiam, querem-no tanto que nem sequer deixam que o homem tenha um futuro diferente que aquele que eles entendem que deve ter.

Deixem lá o homem decidir o que fazer.

Aliás, se ao longo destes trinta e dois anos ele não fez mais nada se não decidir, por si e pelos outros, porque é que haveria de ser diferente agora?
Agora que isto está tudo do avesso e de pernas para o ar, lá isso está!

domingo, 15 de junho de 2008

Suíça vence Portugal por 2-0 e sai honrosamente do Euro 2008


A Selecção Suíça venceu hoje, claramente, por 2-0 a Selecção Portuguesa, com golos Hakan Iakin.


Recorde-se que Portugal já se encontra nos Quartos de final, enquanto a Suíça já estava afastada da fase seguinte deste Campeonato de que era país organizador, juntamente com Áustria, também afastada da competição.


A Suíça venceu com mérito face a uma Selecção Portuguesa frouxa e pequenina que não soube impor-se de forma a justificar em pleno a sua posição de cabeça de Grupo.


Os jogadores portugueses que alinharam, com oito alterações ao onze habitual, tiveram o mérito de mostrar porque são suplentes, e constituem uma equipe de segunda escolha.


De realçar a arbitragem negativa, altamente interventiva na partida, com um elevado número de faltas marcadas e de cartões amarelos mostrados, que em nada ajudaram ao espectáculo, com prejuízo para ambas as partes.


Em simultâneo, a República Checa foi eliminada pela Turquia, por uns surpreendentes 3-2, sendo de salientar que a Turquia deu volta ao resultado, em apenas 15 minutos, marcando 3 golos.

sexta-feira, 13 de junho de 2008

Caeiros no PORA



Esta semana jogo no Euromilhões, Totoloto e Loto 2.

No passado dia 1 de Junho, na sequência da demissão de Silvino Sequeira do lugar de administrador executivo do PORA, em representação das autarquias, publiquei um post em que noticiava a possibilidade de para o lugar ir um dos autarcas com mais experiência do Alentejo.

Claro que não podia dizer que era o mais antigo e com mais experiência porque estaria a divulgar quem seria.

Pois aí está: Fernando Sousa Caeiros, Presidente da Câmara Municipal de Castro Verde desde 1977, eleito a 12 de Dezembro de 1976 naquelas que foram as primeiras eleições autárquicas após o 25 de Abril, sendo um dos, chamados, 5 dinossaurios do Poder Local.

Foi eleito com 31 votos, contra o seu adversário, o autarca de Mourão, eleito pelo PS, que obteve 25 votos.
Fernando Caeiros já anunciou que irá suspender o mandato logo que assuma funções, sendo substituído nas suas actuais funções pelo Vice-Presidente da autarquia, Arq. Francisco Caldeira Duarte.

Repito que considero que Fernando Caeiros merece ocupar o lugar para que foi eleito, como corolário de uma vida dedicada ao Poder Local e às autarquias, e, pese embora as divergências existentes entre nós, penso que poderá fazer um trabalho positivo no lugar que vai ocupar.

Aos novos titulares, Caeiros e Duarte, desejos de boa sorte nas novas funções.

P.S. Já sei que agora me vão acusar de tudo, nomeadamente:

- De ter manobrado o C.C. do PCP para que o Partido empurrasse Caeiros para fora da Câmara de Castro Verde.

- De ter manobrado os votos dos autarcas não CDU que votaram em Caeiros, para eu poder esfregar as mãos de contente.
- De qualquer das formas devo estar a esfregar as mãos de contente.

- Que com estes elogios todos devo estar a querer alguma coisa.

- De ter manipulado os empresários de camionagem .... ai não! Porra, esta não era para dizer, porra!.






quarta-feira, 11 de junho de 2008

Portugal 3 - República Checa -1


Portugal venceu hoje a República Checa, por 3-1, num jogo espectacular entre duas equipas de alto nível, que proporcionaram 90 minutos de bom espectáculo de futebol.


Golos de Deco, Cristiano Ronaldo, Ricardo Quaresma e Sionko.


Assim vale a pena ver Futebol e sofrer por uma Selecção.

Com este resultado, Portugal apura-se para os Quartos de Final, com 6 pontos em dois jogos, ocupando o lugar cimeiro do seu grupo.

P.S. Vá lá que hoje não me atrasei.

terça-feira, 10 de junho de 2008

Cavaco mete os pés!

O Presidente da República, Aníbal Cavaco Silva, recusou-se hoje, em Viana do Castelo, a comentar as manifestações dos camionistas, alegando que se encontra naquela cidade para celebrar o "dia da raça".

Esta designação do 10 de Junho foi criada pelo SNI, e amplamente divulgada e utilizada durante a ditadura de Salazar e Caetano.

O Bloco de Esquerda e O Partido Comunista Português já exigiram explicações a Cavaco Silva para esta utilização da expressão "dia da raça".

Já temos um déspota no poder.
Um "Rei" de figurino em Belém.
Voltámos a ter um "dia da raça".
Qualquer dia declaramos guerra aos terroristas das Selvagens.
Depois, em apoteose, teremos as paradas no Terreiro do Paço.
Ai Abril, Abril, o que de ti fizeram.

segunda-feira, 9 de junho de 2008

Representante das autarquias no PORA


Tudo indica que a notícia que coloquei acerca da possibilidade de ser um dos autarcas mais antigos do Alentejo a ocupar o lugar deixado vago por Silvino Sequeira se confirma.


Grandes notícias devem estar por aí a rebentar.


Apesar de tudo, penso que o merece, e desejo que o candidato tenha sorte e vá ocupar o lugar em disputa.
A seu tempo acrescentarei mais alguma coisa acerca do assunto.

domingo, 8 de junho de 2008

De ruptura, em ruptura, até à ruptura final


Todo o castrenses sabe bem o que é o martírio das rupturas, e da incerteza de chegar a casa sem saber se, actualmente, em pleno século XXI, terá, na torneira, água para as mais básicas utilizações do quotidiano, devido a mais uma das costumeiras rupturas com que continuamente é brindado.

Os Castrenses sabem, à partida, e por isso sem surpresas, que a que irão beber será a do garrafão, porque nesta altura do ano, a aguinha da torneira, quando há, nem se traga.

Talvez devido aos trabalhos de seccionamento que, recorrentemente, são anunciados como efectivados, já se passou a fase de, para reparar uma ruptura junto à saída Norte, toda a vila ficar de sequeiro.

Agora, segundo notícias que tive, a zona mais afectada é a da Rua de Santa Bárbara-Bairro da Condessa, que volta, não volta, estão de castigo.

É triste chegar-se a este ponto, sabendo-se há anos, para o mais comuns dos mortais, que a rede de distribuição domiciliária está envelhecida e deteriorada e a necessitar de uma profunda intervenção para substituição dos velhos sistemas datados de meados do século passado.

Isto para os comuns mortais, porque para os iluminados, que com a sua iluminação pretendem ofuscar o discernimento dos munícipes, entendem que tudo está bem e nada se passa que merece a sua ilustre atenção.

Vá lá, que começaram a reconhecer timidamente que talvez haja qualquer coisita, dado que no famosissímo inquérito à população já é aventada a hipótese de se fazer um estudo das redes de distribuição em baixa.

Clara que isto irá aparecer em 15ª prioridade, com a indicação pública, de que os castrenses optaram pela Cavandela em desfavor da rede de água em condições, mais ou menos como os habitantes de Santa Bárbara optaram por deixar cair a melhoria da estrada em favor de um Lar.
Enfim, prioridades e opções.

Será caso para dizer que estamos perante uma situação de chamar o Super Mário, o canalizador, não o Soares, obviamente.

Atraso


Pronto, pronto! Não batam mais no ceguinho.


Atrasei-me e não coloquei o post a noticiar a vitória de Portugal contra a Turquia, no primeiro encontro do EUro 2008.


O resultado foi 2-0, golos de Pepe e de Raul Meireles, com a anulação de um outro golo, por fora de jogo duvidoso de Pepe.


Fica aqui a nota.


sexta-feira, 6 de junho de 2008

"O Senhor não tem idade nem curriculum!"

Decididamente Francisco Louçã está longe, mas muito longe de ser um dos meus políticos favoritos.




No entanto, tenho que reconhecer que se trata de uma mente brilhante, tanto em termos políticos como em termos técnicos.




Não resisto a transcrever um mail que me enviou o JMSC, e que prova que, pelo menos às vezes, o nosso Premier devia pensar não duas, mas 500 vezes antes de abrir a matraca.




Aí vai.





O senhor não tem idade nem curriculum!


O Primeiro-ministro José Sócrates num momento de alucinação dirigindo-se a Francisco Louçã disse: ' Você não tem idade nem curriculum ...'.
Uma boa piada, diz o jornalista do Portugal Diário! Eu fui à Internet verificar o curriculum e não resisto a publicar:


Actividade política:


*Louçã, nasceu em 12 de Novembro de 1956. Participou na luta contra a Ditadura e a Guerra no movimento estudantil dos anos setenta, foi preso em Dezembro de 1972 com apenas 16 anos e libertado de Caxias sob caução, aderindo à LCI/PSR em 1972 e em 1999 fundou o Bloco de Esquerda. Foi eleito deputado em 1999 e reeleito em 2002 e 2005. É membro das comissões de economia e finanças e antes comissão de liberdades, direitos e garantias. Foi candidato presidencial em 2006.


Actividades académicas:Frequentou a escola em Lisboa no Liceu Padre António Vieira (prémio Sagres para os melhores alunos do país), o Instituto Superior de Economia (prémio Banco de Portugal para o melhor aluno de economia), onde ainda fez o mestrado (prémio JNICT para o melhor aluno) e onde concluiu o doutoramento em 1996.Em 1999 fez as provas de agregação (aprovação por unanimidade) e em 2004 venceu o concurso para Professor Associado, ainda por unanimidade do júri.




É professor no ISEG (Universidade Técnica de Lisboa), onde tem continuado a dar aulas e onde preside a um dos centros de investigação científica (Unidade de Estudos sobre a Complexidade na Economia).Recebeu em 1999 o prémio da History of Economics Association para o melhor artigo publicado em revista científica internacional.




É membro da American Association of Economists e de outras associações internacionais, tendo tido posições de direcção em algumas; membro do conselho editorial de revistas científicas em Inglaterra, Brasil e Portugal; 'referee' para algumas das principais revistas científicas internacionais (American Economic Review, Economic Journal, Journal of Economic Literature, Cambridge Journal of Economics, Metroeconomica, History of Political Economy, Journal of Evolutionary Economics, etc.).




Foi professor visitante na Universidade de Utrecht e apresentou conferências nos EUA, Inglaterra, França, Itália, Grécia, Brasil, Venezuela, Noruega, Alemanha, Suíça, Polónia, Holanda, Dinamarca, Espanha.Publicou artigos em revistas internacionais de referência em economia e física teórica e é um dos economistas portugueses com mais livros e artigos publicados (traduções em inglês, francês, alemão, italiano, russo, turco, espanhol, japonês).Em 2005, foi convidado pelo Banco Mundial para participar com quatro outros economistas, incluindo um Prémio Nobel, numa conferência científica em Pequim, foi desconvidado por pressão directa do governo chinês alegando razões políticas. Terminou em Agosto um livro sobre 'The Years of High Econometrics' que será publicado brevemente nos EUA e em Inglaterra.
Obras publicadas:
Ensaios políticos Ensaio para uma Revolução (1984, Edição CM)Herança Tricolor (1989, Edição Cotovia)A Maldição de Midas – A Cultura do Capitalismo Tardio (1994, Edição Cotovia) A Guerra Infinita, com Jorge Costa (Edições Afrontamento, 2003)A Globalização Armada – As Aventuras de George W. Bush na Babilónia, com Jorge Costa (Edições Afrontamento, 2004)Ensaio Geral – Passado e Futuro do 25 de Abril, co-editor com Fernando Rosas (Edições D. Quixote, 2004)
Livros de Economia
Turbulence in Economics (edição Edward Elgar, Inglaterra e EUA, 1997), traduzido como Turbulência na Economia (edição Afrontamento, 1997)The Foundations of Long Wave Theory, com Jan Reinjders, da Universidade de Utrecht (edição Elgar, 1999), dois volumesPerspectives on Complexity in Economics, editor, 1999 (Lisboa: UECE-ISEG)Is Economics an Evolutionary Science?, com Mark Perlman, Universidade de Pittsburgh (edição Elgar, 2000)Coisas da Mecânica Misteriosa (Afrontamento, 1999)Introdução à Macroeconomia, com João Ferreira do Amaral, G. Caetano, S. Santos, Mº C. Ferreira, E. Fontainha (Escolar Editora, 2002) As Time Goes By, com Chris Freeman (2001 e 2002, Oxford University Press, Inglaterra e EUA); já traduzido para português (Ciclos e Crises no Capitalismo Global - Das revoluções industriais à revolução da informação, edições Afrontamento, 2004) e chinês (Edições Universitárias de Pequim, 2005)*
Fonte Wikipédia


Sobre Sócrates, sabe-se que é engenheiro civil tirado na Universidade Independente, ainda sob suspeita de ilegalidades. Que assinava como Engenheiro quando era Engenheiro-Técnico. Que elaborou ou pelo menos assinou uns projectos de habitação caricatos. Que a sua actividade política se deu com o 25 de Abril na JSD/PSD e depois no PS como deputado e como governante. Do seu curriculum sabe-se ainda (embora ele o desconhecesse) que teve uma incursão fugaz como empresário-sócio de uma empresa de venda de combustíveis.


Quanto a curriculuns estamos conversados!
--------------------
Quanto à idade devem ter diferença de meses...
--------------------


Erro! Nome de ficheiro não especificado.Comparar o currículo de Sócrates a Louça, é o mesmo que dizer que o vinho a martelo é superior a uma Cartuxa Reserva 2002 Tinto.

Castro Verde - Festas da Vila 2008



Já foi tornado público o cartaz das Festas da Vila 2008, encontrando-se disponível no sítio da Câmara Municipal de Castro Verde.


É um bom cartaz, que promete duas noites animadas, no Largo da Feira.


Esperemos que não saia tão caro como o do ano passado, que foi um verdadeiro abuso.




Festas da Vila 2008 - 4/7/2008 - 6/7/2008

Expensive Soul

Nasceram no final da década de 90, quando New Max (vocalista,produtor e compositor) e Demo (MC) se juntaram para fazer música. Ganharam uma nova notoriedade ao ser repescados, já em 2005, pela editora EMI. Os singles “Eu Não Sei” e “Falas Disso” tornaram-se também populares devido à sua rodagem na série “Morangos Com Açúcar”. Desde 2003 que os Expensive Soul, com uma sonoridade inspirada no R&B, soul, funk, reggae, se fazem acompanhar da Jaguar Band.

Pedro Abrunhosa e os Bandemónio

Lançaram o primeiro álbum em 1994, Viagens, um disco de rockcheio de jazz e de vida, que rapidamente atingiu a tripla platina. Seguiram-se Tempo, Silêncio, Momento, Luz, Palco e Intimidade, um somatório de sucessos cujas músicas se tornaram hinos, estribilhos, adágios no panorama musical contemporâneo. As canções de Pedro Abrunhosa estão cheias de histórias, felizes e infelizes, únicas e intensas. Verdadeiras lendas que ultrapassam os limites da originalidade.

Paulo Gonzo

Figura incontornável da música portuguesa, Paulo Gonzo é a voz de inúmeros temas que rodaram nas rádios nacionais e estiveram nos primeiros lugares dos Tops nacionais. Co-fundador, vocalista e compositor do grupo Go Graal Blues Band, é a solo, no início da década de 80, que daria o salto para a ribalta com o tema So do I, enorme sucesso de vendas. Desde então, na sua discografia encontram-se temas como Jardins Proibidos, Dei-te Quase Tudo, Sei-te de cor, ou Leve Beijo Triste. Músicas que fazem parte de Perfil, o seu mais recente último disco.
Némanus

O Kizomba e os ritmos musicais Africanos, chegam este ano ao som desta banda constituída pelos irmãos Né e Helder Vieira. “Falar de ti ao mar…” é o título do álbum que lançou a dupla no panorama musical português, ao qual se seguiram “Sonho de Aventura” e, mais recentemente, “Dançando Kizomba”. Uma mistura embriagante de ritmo, voz e danças sensuais.4, 5 e 6 de Julho 2008
Local: Largo da Feira

quinta-feira, 5 de junho de 2008

Autismo X Arrogância

Autismo

"É uma alteração cerebral que afecta a capacidade da pessoa se comunicar, estabelecer relacionamentos e responder apropriadamente ao ambiente. Algumas crianças apesar de autistas apresentam inteligência e fala intactas, outras apresentam também retardo mental, mutismo ou importantes retardos no desenvolvimento da linguagem. Alguns parecem fechados e distantes, outros presos a comportamentos restritos e rígidos padrões de comportamento. Muitas das pessoas que sofrem de autismo vivem num "mundo" à parte, interagindo com coisas que eles imaginam. É como se criassem o seu próprio mundo."




Ouve-se, frequentemente, acusar o Primeiro-Ministro de "autista".


No entanto, e pela definição acima transcrita da Wickipédia, o autismo é uma doença cerebral que ataca, isso mesmo, ataca as crianças provocando-lhes problemas de comunicação, relacionamento e sociabilização.



Portanto, quem tem a tem, não exerceu uma opção, não escolheu ser autista.


O comportamento do Primeiro-Ministro é de outra natureza.


É arrogância. É desrespeito. É agressividade. É teimosia. É falsidade. É ambição desmedida. É despotismo. É egoismo. É ... tudo o que lhe quiserem chamar.
Mas, autismo, não é!

É, acima de tudo, falta de formação e de educação, porque procurei muito e não encontrei nada onde esteja escrito que para se ser político tem que se ter estes comportamentos.

Estes comportamentos são escolhas. O Primeiro-Ministro é assim porque optou ser assim.

Pena que o não tenha mostrado em campanha eleitoral.

Nem ninguém nasce assim. Fica-se assim por deformação da personalidade.

Pede-se apenas um pouco de respeito por quem é, de facto, autista.
Infelizmente, a esses, não foi dada hipótese de escolha.

200.000 Contra a Política Laboral

O Alerta Geral convocado pela CGTP-IN levou 200.000 pessoas a manifestarem-se, hoje, em Lisboa, contra as intenções de agravamento das leis laborais que o Governo PS/Sócrates querem impor.

O Governo apresentou um memorando com os eu entendimento acerca do que deve mudar nas leis laborais, designadamente no Código do Trabalho, e cuja implementação levará ao agravamento das condições de trabalho, da precariedade laboral, ao aumento dos períodos de laboração, para além da perda de muitos outros direitos consignados pelas leis actualmente em vigor.

O Partido Socialista, aquando da versão inicial do Código do Trabalho, estando na oposição, insurgia-se contra a sua aprovação, tentando agora consignar na Lei aquilo que constava na oposição, agravando sobremaneira as dificuldades com que se deparam os trabalhadores portugueses.

Triste é que estas medidas sejam propostas por alguém, o Ministro Vieira da Silva, considerado próximo da ala esquerda do Partido do Governo.

Se a ala esquerda dá nisto, imagine-se a direita.

O Primeiro-Ministro já veio a público dizer que não se impressiona com o número de 200.000 manifestantes, que foi avançado por fontes da PSP.

Sem mais comentários.