terça-feira, 26 de dezembro de 2017

ESTÁ MAL: NATAL SEM PRESÉPIO

 
ESTÁ MAL: NATAL SEM PRESÉPIO 
Provavelmente, Castro Verde terá sido o único dos 308 concelhos do país que não exibiu um Presépio por iniciativa do Município.
É lamentável que, depois de tantos reparos apontados por tantos munícipes ao longo das últimas semanas, entre os quis eu próprio, o executivo camarário não tenha sido capaz de emendar a mão numa decisão incompreensível, até porque o Presépio existe, mesmo que não colocassem os reis magos e os seus camelos nas ruas: o Presépio existe, não foi exibido porque alguém assim decidiu.
Isto quando esse alguém se encontra em funções há pouco mais de dois meses, tendo chegado ao poder montado no cavalo do diálogo com os munícipes.
Não pretendo ter a veleidade de ter sido a minha intervenção prévia a conduzir à não colocação do Presépio, mesmo que tardia, no local que tradicionalmente lhe pertence, mas se foi, então estamos perante uma atitude mesquinha de manifestação de poder.
Se não foi (como espero), então tratou-se de uma atitude insensível por parte do novo poder socialista, que demonstra estar-se borrifando para o que os munícipes dizem, e mandaram o cavalo diálogo pastar caracóis.
Só para esclarecer, a palavra “Natal” significa “Natividade”, é representada pelo conjunto de imagens da Sagrada Família, e comemora-se no dia 25 de Dezembro.
Anda par aí um cidadão a dizer nas redes sociais que para o próximo ano já haverá. 
Pois o costume, a tradição, diz que todos os anos se comemora o Natal, e não apenas quando o executivo camarário o decide fazer.

Sem comentários:

Publicar um comentário