segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Blá, Blá, Blá ...

 
 
Hoje detive-me um pouco mais de tempo a esmiuçar o material de propaganda da candidatura de António José Brito (não digam que é do PS, que isso lembra Sócrates, e crise, e troika, etc.) e cheguei à conclusão que tudo se pode resumir desta forma: Blá, Blá, Blá.
De boas intenções está o inferno cheio, e não passam disso mesmo.
Mas aqui nem se tratam de boas intenções.
O Programa que António José Brito apresenta é uma manta de retalhos de propostas desconexas e totalmente desenquadradas das reais necessidades dos castrenses.
ainda por cima eivado de incoerências com as linhas programáticas iniciais da candidatura, por exemplo, a defesa de que as associações têm que se auto sustentar finaceiramente e não viver à custa dos financiamentos municipais.
Pois bem, António José Brito, para além de se comprometer em manter todos os apoios, ainda quer comprometer as associações locais no cumprimento de promessas que apresenta para o Município.
isto para já não falar nas divagações, que de tão vagas, se chega ao ponto de, no mesmo documento de campanha se prometer uma incentivo à natalidade de 1.000,00€ e mais à frente já é de 1.500,00€.
Decidam-se lá que é para o pessoal saber com o que pode contar, antes de se começar para aí a reproduzir à força toda.
Já agora, como tanta fartura de obra e actividades e apoios, gostaríamos de saber, e falo como eleitor e municípe de Castro Verde, qual a origem do dinheiro para isto tudo?
Do chão, já nos chega a derrama da mina, que é limitada, e vamos lá ver até quando é que a troika (aquela que o PS chamou) vai permitir que fique por cá, e que tem um custo: transferências do Orçamento de Estado para realização de obra= 0 (ZERO) euros.
Pode ser que caia do céu, ou que o candidato tenha uma árvore das patacas no seu quintal para financiar tanta coisa.
Promessas, é fácil fazer: basta abrir a bocarra e deitar cá para fora aquilo que lhes vem à cabeça.
Mais difícil é explicar como vão fazer.
E mais difícil ainda, senão impossível, será cumpri-las na actual situação do país.
A isto chama-se enganar as pessoas.
Mas isso é tarefa que o Partido Socialista tem mestria em fazer, e o candidato António José Brito aprendeu depressa com o Mestre.
Aliás já trazia metade do curso feito!

Sem comentários:

Publicar um comentário